O produto foi adicionado ao seu carrinho de compras.

Qual a melhor impressora de etiquetas?

Assim como escrevemos na semana passada no Post “Qual o melhor leitor de Código de Barras?” a escolha de uma impressora térmica de etiquetas deve ser feita com cuidado e com o auxílio de um profissional experiente e com conhecimento técnico e de mercado, até para que o mesmo possa lhe indicar o melhor tipo de etiqueta (papel, adesivo ou não, gramatura) e ribbon (cera, resina) para sua necessidade.

Isso porque existem dezenas de opções disponíveis, com maior ou menor foco em velocidade, qualidade de impressão e disponibilidade de acessórios e recursos. As impressoras de etiquetas disponíveis podem variar de valores na casa de R$ 1.000,00 a R$ 15.000,00, dependendo do modelo e aplicação desejada.

As principais aplicações para as impressoras de etiquetas são: impressão de etiquetas para produtos, gôndolas, caixas, identificação de materiais e exames laboratoriais, identificação de pessoas em crachás de feiras e eventos e hospitais e laboratórios, contas, tickets, ingressos e muitos outros.

Podemos dividir as impressoras térmicas de códigos de barras em 04 opções: impressoras de mesa, impressoras de média performance (ou industriais), impressoras de alta performance e impressoras portáteis.

 

1) Impressoras de Mesa

As impressoras de mesa são modelos menos robustos, normalmente utilizadas em ambientes com baixa ou média quantidade de impressões dia (entre 1.000 e 5.000 etiquetas/dia). São indicadas para operações em lojas de departamento, mini mercados e mercados, laboratórios, clínicas, áreas de atendimento de hospitais, joalherias, credenciamento de visitantes em feiras e eventos, impressão de ingressos em cinmas, etc.

Os principais modelos disponíveis no mercado são a Argox, OS214, a LB1000 da Bematech, a L42 da Elgin, a Datamax E-Class, a GC420 e a GK420, ambas da Zebra.

 

2) Impressoras de Média Performance ou Industriais

Estes equipamentos possuem como principal característica a robustez. Trabalham em velocidades de impressão superiores as impressoras de mesa, além de possuírem espaço para bobinas de etiquetas maiores. Normalmente são mais velozes e trabalham com maior autonomia de impressão. São indicados para ambientes menos amistosos e que possuam alto volume de impressões (entre 5.000 e 10.1000 etiquetas/dia).

São indicados para operações em depósitos de lojas, supermercados e hipermercados, empresas de transporte e logística e operações em pequenas industrias.

Os principais modelos disponíveis no mercado são a ZT230 da Zebra, a ZT410 também da Zebra, a Datamax Allegro Flex e a Datamax M-Class M4210.

 

3) Impressoras de Alta Performance

São equipamentos altamente robustos, utilizados em operações específicas como ambientes de chão de fábricas, grandes operadores logísticos e grandes centros de distribuição. Possuem altíssima autonomia de impressão (acima de 15.000 etiquetas/dia). Por serem equipamentos que necessitam de alto valor de investimento alguns permitem que vários modelos de etiquetas sejam programados para serem impressos em série sem a necessidade de parada da máquina.

Os principais modelos disponíveis no mercado são a Zebra 110XiIII Plus, a Zebra 140XiIII Plus e a Zebra 105SL.

 

4) Impressoras Portáteis

As impressoras de código de barras portáteis são indicadas para operações em campo, como impressões de contas, ingressos, etiquetas de preço em um processo de auditoria de valores, tickets, comprovantes de pagamentos e outros. São comumente utilizadas em conjunto com aplicativos em celulares, tablets e coletores de dados.

Os principais equipamentos disponíveis são a Datecs DPP250, a Datecs DPP350, a Zebra RW420, a Zebra QL320 Plus e a Compex LK-P30B.

Outros pontos importantes na escolha de um equipamento é verificar sempre com a empresa que desenvolve seu software quais os equipamentos e modelos homologados. Caso seu software seja próprio, aconselhamos definir o modelo mais indicado para sua operação antes de começar a homologação do equipamento.

As impressoras de código de barras também possuem uma vastidão de acessórios, como facas para cortes especiais, suporte de bobinas, print servers (para comando da impressora na rede por vários usuários diferentes), etc. Este é mais um motivo para conversar com um especialista antes da decisão. Em alguns casos, o “barato” pode sair “caro” e uma impressora de código de barras é prejuízo na certa.

Deixe uma resposta